Senador revela mágoas do passado e diz que sofreu derrota por “eleição fraudada”

0


O senador paraibano Raimundo Lira (PMDB) revelou que não superou o trauma da derrota eleitoral sofrida em 1994, quando postulava a sua reeleição, perdendo para os já falecidos senadores Humberto Lucena e Ronaldo Cunha Lima. À época no extinto PFL, Lira declarou que os institutos Ibope e Vox Populi confirmaram sua vitória na pesquisa boca de urna.

“Se eu for falar do passado, das mágoas, eu ficaria falando aqui durante horas. Eu disputei 1994 com a mesma força eleitoral de 1986. Mas alguns fraudes eleitorais foram cometidas à época, como o escândalo de Gesner Caetano que trouxe um enfraquecimento para a nossa chapa. Mas ainda assim, todos os institutos nacionais me consideraram eleito a ponto de Carlos Montenegro do Ibope anunciar às 17 horas na boca de urna pesquisa que eu teria vencido. Mas minha eleição foi fraudada.Em um lugar onde perdi com 30 mil, era pra ter vencido com 70 mil votos. Eu tenho toda a documentação em minhas mãos”, declarou.

O senador ainda citou algumas conquistas do seu mandato entre 1986 e 1994, fazendo questão de frisar que só retornou a política após apelos do ex-senador Vital do Rêgo Filho.

“Com o nosso trabalho, houve a modernização da BR-230 do Cajá até a fronteira. Recapiei a estrada de Cajazeiras até Aparecida. Pra citar duas obras conhecidas. Eu fiz seis viagens com o então senador Fernando Henrique Cardoso, em três o presidente da comitiva era eu. Eu era o único senador que freqüentava o apartamento de FHC. Umcara com esse respaldo era fundamental para o desenvolvimento da Paraíba. Mas naquele momento para um grupo político era fundamental que Raimundo Lira fosse derrotado. Depois desse episódio traumático, fui cuidar da minha vida. Até que veio o convite de Vital de Rêgo para ser suplente, fui convencido depois de meses e diante de uma circunstância inesperada, estamos de novo no Senado”, finalizou.

Escrever comentário