Deputados federais da PB gastam mais de 3,6 milhões com ‘cotão parlamentar’ em 2015

0


Os deputados federais da Paraíba gastaram durante o ano de 2015 o montante de R$ 3.676.711,61 da cota parlamentar.
O deputado Manoel Júnior  (PMDB), que se destacou este ano como um dos parlamentares mais influentes do Congresso Nacional, foi o campeão de gastos. Ao longo do ano, ele utilizou R$ 455.714,68.
O ex-prefeito de Campina Grande, Veneziano Vital do Rêgo (PMDB), que desempenhou seu primeiro ano como deputado federal, ficou na segunda colocação com gastos na ordem de R$ 428.158,43.
Outro peemedebista ficou na terceira colocação no ranking de gastos, foi o deputado federal Hugo Motta que em 2015 ganhou holofotes na mídia nacional por presidir a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigou denúncias de corrupção na Petrobras. A Câmara dos Deputados teve de arcar com despesas no montante de R$ 415.633,05 do parlamentar.
O deputado Wilson Filho, que poderá disputar a Prefeitura de João Pessoa nas eleições do próximo ano, ocupou a quarta colocação no ranking de gastos em 2015. Ele utilizou R$ 399.072,13 da cota parlamentar.
O deputado federal Rômulo Gouveia (PSD), que retornou este ano à Câmara Federal após ocupar o cargo de vice-governador da Paraíba na primeira gestão do governador Ricardo Coutinho (PSB), gastou R$ 362666,43.
Wellington Roberto (PR), que ganhou destaque nacional no fim deste ano após sair no tapa com um deputado no Conselho de Ética, foi o mais econômico este ano. As despesas dele totalizaram R$ 172.469,33.
Efraim Filho (DEM) gastou R$ 330.439,78; Damião Feliciano (PDT) teve despesas na ordem de R$ 309.428,34; Aguinaldo Ribeiro (PP) utilizou R$ 295.832,29; os gastos de Benjamin Maranhão (SD) somaram R$ 280.135,34; Luiz Couto (PT) gastou R$ 226.021,46.
A Câmara Federal não disponibilizou as informações referentes ao mandato do deputado federal licenciado Pedro Cunha Lima (PSDB) que se afastou do mandato este mês para concluir um mestrado em Portugal. Marcondes Gadelha (PSC), que assumiu o mandato interinamente, gastou em dezembro a quantia de R$ 1.140,35.
A cota para exercício de atividade parlamentar dos deputados varia conforme o estado de origem do parlamentar e é destinada a gastos com passagem aérea, telefonemas e serviços postais, por exemplo.

Escrever comentário