Cunha Lima admite dificuldade em aliança com Cartaxo por apoio do prefeito a Dilma

0


O deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB) admitiu que a defesa do prefeito Luciano Cartaxo (PSD) à presidente Dilma Rousseff (PT) e sua manifestação contrária ao impeachment dificulta uma aproximação com o gestor.

“Na minha opinião, dificulta porque afasta do que a população está exigindo. O partido é só uma plataforma dentro da democracia, o partido é só o meio, o fim da democracia é a exigência, é a cobrança, a vontade do eleitor. A partir do momento que o agente político fica contra uma apuração, um afastamento de um partido que tem feito muito mal ao nosso país, dificulta o diálogo com  quem está fazendo o enfrentamento oposto”, disse.

Ele também defendeu que o PSDB decida em breve quem irá apoiar nas eleições da Capital e confirmou que a aliança também será construída pensando nas eleições de 2018.

“Eu tenho tentado participar da condução do processo para que a gente consiga decidir o quanto antes. O principal fator que pesa nesse instante é a cobrança da população em determinadas posições e temos que agir com coerência. Nós não temos candidatura própria, existem alternativas em outras siglas e a gente tem que ter cuidado na avaliação das propostas para chegar à decisão. É natural que o projeto seja construído a longo prazo e é um fator que entra naturalmente na conversa e até quando não entra faz parte dela, é um fator que tem sido levantado para chegar a essa conclusão”, falou.

Para Pedro, as dificuldades do governador Ricardo Coutinho (PSB) para construir uma candidatura forte em João Pessoa é um reflexo da péssima gestão que o socialista vem fazendo, segundo o tucano.

“O governador Ricardo não tem dificuldade política, tem dificuldade da gestão, isso reflete na política. Ele é negligente com o problema da segurança pública, faz  retaliação a servidores de carreira. Do ponto de vista eleitoral, temos uma reprodução do que está acontecendo na gestão, é isso que acontece na Capital e vai ser esse o encaminhamento final em relação a isso”, concluiu.

Comments are closed.